terça-feira, 28 de abril de 2015

Capítulo 4

Vanessa sacudiu a cabeça e levantou-se. Impossível, não podia. No entanto, enquanto lavava os pratos, ocorreu-lhe uma ideia. Iria jantar com ele no dia seguinte, Zac tinha algo que lhe dizer. E se pensava oferecer-se voluntariamente como doador? Sim, devia ser isso disse Vanessa tampando a boca. Por que outra razão ia querer jantar com ela?
Vanessa saiu dançando da cozinha ao quarto. Era perfeito. Jamais teria se atrevido a pedir, mas se ele se oferecia... Era simplesmente perfeito.
Ainda mais, não tinha esposa que pudesse se ofender. Era uma pura casualidade que Zac não estivesse casado. Vanessa tirou a roupa e meteu-se na cama, mas não pode dormir.
Quando Zac e Taylor se conheceram, ela estava na Universidade de Alabama. Vanessa nem sequer voltou a casa para assistir o casamento. Por aquele então, Zac tinha começado a ganhar muito dinheiro.
Taylor. Vanessa recordava perfeitamente do ciúme que tinha sentido quando Zac lhe apresentou. Era miúda e de silhueta muito feminina, com olhos azuis e cabelo loiro. Agarrava-se timidamente a Zac, provocando nela um sentimento de perda e de ciúme. Zac tinha sido sempre seu melhor amigo. Durante anos, era a pessoa à que ia quando tinha um problema, tinha-a ajudado a sobreviver a uma infância triste e amarga. O laço que os unia tinha sido sempre muito especial. Era verdade que sua amizade se tinha debilitado quando ela começou a sair com Austin, e depois ainda mais, ao ir com ele ao Alabama, mas, de algum modo, Zac tinha seguido sendo seu.
Por aquilo então, Vanessa se tinha escondido seu ciúme de Taylor. Tinha decidido ser amável com ela, pensando que se tratava de uma atitude infantil. Ainda mais, não tinha no mundo uma pessoa mais doce que Taylor. Vanessa e ela chegaram a ser boas amigas. De fato, tinha sido Taylor quem tinha sugerido que se vissem na terceira quarta-feira de cada mês. Quem teria pensado que Zac e ela seguiriam se vendo, depois de Taylor falecer, um ano depois? E quem teria pensado que Zac seria o pai de seu filho? Porque Vanessa estava convencida de que isso era o que Zac lhe ia dizer. Mal podia esperar.
Zac a levou para jantar num dos restaurantes mais elegantes de Back Bay, recentemente inaugurado. Estava só a umas quadras da casa de Vanessa, mas ela não o conhecia. Durante o extraordinário jantar vegetariano Zac não disse absolutamente nada sobre o motivo pelo que a tinha convidado. Falaram sobre temas sem importância. Vanessa se desanimou, pensando que talvez tivesse mudado de opinião. Se atreveria ela sugerir a ele?
Zac pediu a conta. Antes que Vanessa pudesse se dar conta caminhavam por Marlborough Street, em direção a seu apartamento. Ambos em silêncio, com as mãos nos bolsos. Vanessa abriu a boca um par de vezes, mas voltou a fechá-la sem pronunciar uma palavra. Como começar o tema? Talvez ele se sentisse tão violento como ela. Talvez, simplesmente, devesse perguntar-lhe, de supetão. Mas não se atrevia. Era muito consciente da silhueta de Zac, alto e de largos ombros, caminhando junto a ela. Vanessa jamais o tinha olhado mais que como a um amigo, mas a ideia de que pudesse ser seu doador suscitava nela uma atração sexual, um desejo de intimidade e uma fascinação que, por muito que tentasse, não podia apagar de sua mente. Zac tinha se convertido num homem extremamente atraente. Seus cabelos eram escuros e espessos, e seus olhos, incrivelmente azuis, resultavam ainda mais vívidos com a pele morena. De adolescente tinha sido alto, mas um pouco desengonçado. Na maturidade, em mudança, tinha se feito mais forte, mais musculoso. Devia treinar diariamente. Sim, era muito atraente. Mas não devia alimentar esse tipo de sentimentos por seu melhor amigo.
Em poucos minutos chegaram ao apartamento de Vanessa. Ao chegar à porta ela voltou-se, mas antes que pudesse dizer algo ele se adiantou:
— Posso subir? Pedi que saíssemos para jantar por uma razão muito concreta, e ainda que tentasse, não fui capaz de se dizer toda a noite — sorriu Zac — Tentava reunir coragem.
— Claro — contestou Vanessa aliviada — Estava me perguntando o que acontece. Quer um café?
— Excelente — contestou Zac seguindo-a até a entrada. Vanessa pendurou ambos os casacos e lhe assinalou o salão, indo à cozinha fazer café. Estava segura de que Zac tomaria sozinho. Preparou uma bandeja e voltou, deixando-a sobre a mesa, adiante do sofá, e sentando-se. Zac estava de pé, diante da janela. Ao ouvi-la voltou-se e aproximou-se dela.
— Senta — convidou Vanessa dando umas palmadinhas no sofá, junto a ela.
— Obrigado. Tem um apartamento muito bonito, não tinha visto.
— Não costumo convidar ninguém, é muito pequeno, mas ao preço que está o metro em Black Bay, tenho sorte de ter.
Teve um incomodo e tenso silêncio. Finalmente, Zac deu um gole no café e voltou-se para ela.
— Vanessa, somos amigos faz muito tempo. Eu sei que você quer ter filhos — continuou fazendo uma pausa para tomar fôlego — E eu também quero tê-los. Quer casar comigo?
Era impossível. Devia ter ouvido mal. No entanto Vanessa sabia que tinha ouvido bem. Sua voz mostrou toda sua agitação e nervosismo, ao responder:
— Não! Zac, isso não é o que quero... Isto é, você também não quer casar comigo realmente. Quando me ligou, pensei que... pensei...
— Que pensou? — perguntou ele com singeleza, com calma, olhando sua xícara.
— Bom, pensei que ia oferecer... — Vanessa se ruborizou —... ser o doador.
— Pensou o que? — voltou a perguntar Zac com a boca aberta igual há ela instantes antes.
— Passei o dia todo pensando no que me disse — se apressou Vanessa a explicar — Tinha razão sobre o risco que supõe aceitar um doador desconhecido, por isso decidi que devia pedir a um amigo. Fiz uma lista de amigos solteiros...
— E meu nome aparecia nessa lista? — perguntou ele incrédulo, com evidente desagrado.
— É... sim — contestou Vanessa desviando a vista — Conheço-o toda a vida, conheço sua família. É o candidato mais lógico — acrescentou encolhendo os ombros e compreendendo, pelo gesto de Zac, que ia negar — Por favor, Zac! Estou completamente decidida. Significaria muito para mim.
— Não, V — sacudiu a cabeça.
— Mas por quê? — continuou ela rogando.
— Não seria... Não me sentiria tranquilo, sabendo que tenho um filho em alguma parte que não vou criar e que nem sequer sabe que sou seu pai — explicou Zac, decidido —. Não suportaria a ideia de não ser parte de sua vida.
— Essa é exatamente a reação que esperava de meus amigos, mas não a esperava de você.
♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥
Hellooo girls!!
Ooops.. Acho que deu zebra!!! Será que o Zac vai aceitar ser o doador
da Vanessa ou a Vanessa vai aceitar se casar com o Zac!? Duvida cruel!!
Só espero que não briguem!!
Bom como eu não sei o nome de vcs vou responder assim:
O 1º anonimo que comentou: Desculpe por não postar outro ontem... Tive que estudar 
pra uma prova de hoje!! E fico feliz que esteja gostando das fics!!
O 2º anonimo que comentou: Eu com certeza entro nessa campanha!! O Zac tem que se 
declarar pra Nessa tipo UR-GEN-TE!!
Obrigada pelos comentários meninas!!!
Beijos e até qualquer hora!!

4 comentários:

  1. Aii meu Deus!! E agora tomara que ela aceite casar com o zac!! Ahhhh posta mais hjjjj porfaaaa

    ResponderExcluir
  2. Ahhh como assim ele pediu ela em casamento?!! Tomara que ela repense a escola dela, já que nos estamos de acordo que ele deve se declarar, vc podia fazer isso acontecer ne kkkk kkkkkk
    Posta mais hoje pleaseeee

    ResponderExcluir
  3. ai senhor ,eu não esperava que ele fosse tão direto ,e como assim ela nem pensou direito antes de dizer n ?so pode ta ficando doida!
    e ,foi impressão minha ou ela ta começando a sentir algo por ele?espero que sim , e que ela aceite !posta mais hj ,bjs bjs

    ResponderExcluir
  4. meu Deus,agora ferrou mesmo,rsrs
    espero que o Zac aceite ser o doador e que a Nessa aceite o pedido de casamento
    quero Zanessa juntos logo,se possível na fase in love,kkkk
    posta mais,kisses

    ResponderExcluir