quinta-feira, 7 de maio de 2015

Capítulo 15

Na manhã seguinte Zac voltou a visitar Vanessa no hospital. Levava uma caixa branca atada com dois laços embaixo do braço, que deixou sobre a cama.
— Olá, tudo bom? Sente-se bem hoje? — perguntou tomando-a pelo queixo e beijando-a brevemente.
— Bem — contestou ela desejando que aquele beijo se tivesse prolongado, e repreendendo-se ao mesmo tempo —. Pode ser que hoje mesmo me tirem o soro. De fato, vou tomar uma dieta leve.
— Bem.
— Mas isso não significa que possa comer.
— Verdade — assinalou Zac sentando-se na cama —. Esta manhã fiz alguns telefonemas. Podemos casar-nos em dois dias.
— Dois dias! Bom... Está bem. Para isso tenho que sair do hospital, claro.
— Não parece que a ideia se entusiasme muito — riu Zac.
— Não, é só que... Ultimamente custa-me acreditar. O médico quer ver como reajo quando me tirem a medicação contra as náuseas. Se voltar a me sentir mal voltará a me prescrever, e poderei ir pra casa — comentou Vanessa sentando-se na cama —. Tudo bem com as coisas na galeria?
— Venho de lá, precisamente. Ashley e Selena estão trabalhando, e Ashley tem outra garota, uma tal de Kim, de reserva — explicou Zac a olhando esperando sua aprovação.
Vanessa sorriu satisfeita.
— Venderam quatro peças da coleção Ramirez e uma bolsa de contas de cristal. As vendas mantêm-se.
— Essas são boas notícias — contestou Vanessa. Emanuel Ramirez é um artista norte-americano, desenha jóias de prata. Mandou-me coisas realmente bonitas.
— Onde o conheceu?
— Em Arizona. Uma amiga minha viu suas peças. Ficou tão impressionada, que me chamou. Voei até lá e marquei uma entrevista. Trouxe-me algumas peças para provar, e ver se vendiam bem em Boston — sorriu Vanessa satisfeita —. Foi um sucesso, sua mercadoria mal fica na loja.
— Gosta muito de seu trabalho — comentou Zac.
— Sim, é excitante buscar novos artistas. Tenho pensado em introduzir presentes de bebê, quando expandir o negócio.
— Falando de presentes de bebê. Por que não abre este?
— O que é?
— Queria ser eu a dar o primeiro presente aos nossos filhos — contestou Zac encolhendo os ombros.
Vanessa abriu-o. Eram dois tigres brancos de olhos azuis. Vanessa tirou-os da caixa e acariciou-os
— São lindos, poremos um em cada berço.
— Há outra coisa — sorriu Zac.
Vanessa se alarmou ante o tom de voz de Zac. Lentamente, afastou os bonecos e olhou na caixa de papel de seda, tinha uma caixinha de joalheria dentro.
— Zac, se é o que creio, não tinha por que…
— Shhh! — ordenou Zac pondo um dedo sobre seus lábios —. Conhece-me o suficiente para saber que nunca faço nada que não deseje fazer, V. Abra-a.
Vanessa pegou a caixinha de veludo. Dentro tinha um anel espetacular, tal como tinha imaginado. Com um diamante no centro e quatro menores aos lados, sobre a banda de ouro. Era elegante, clássico. E as pedras refletiam a luz ao movê-lo.
— É lindo, Zac, é... — comentou Vanessa, tratando de acrescentar que não podia aceitar.
Zac, no entanto, voltou a tampar-lhe a boca suavemente com a mão, dizendo:
— Obrigada, Zac. Vou usá-lo sempre.
Vanessa reprimiu uma gargalhada, e ele por fim apartou a mão.
— Mas não posso aceitar — assegurou ela séria.
— Claro que pode. Vai ser minha mulher, a mãe de meus filhos. Algum dia dará este anel a um de nossos filhos. Tem ideia de quão feliz me faz? — acrescentou inclinando-se sobre ela para tomá-la pelos ombros. Sua voz era profunda, seu olhar intenso. Vanessa vacilou —. Por favor, V. Não lhe dê mais importância do que tem. É tão bela, que quero lhe dar presentes bonitos — continuou lhe tirando o anel para deslizá-lo em seu dedo.
— Acha que sou... Bela? — perguntou Vanessa aclarando a garganta —. Achava que me via como à vizinha magrela que o perseguia e a Emily Preswick, quando só tinha dez anos.
— Sim, naquele ano era magricela — sorriu Zac —. Mas é verdade, está adorável — acrescentou ficando sério de repente e acariciando sua bochecha com um dedo, com incrível ternura —. sua pele é como a seda, ao contato. Tem rosas nas bochechas, e teus olhos são brilhantes. Teus lábios...
A voz de Zac desvaneceu-se. Vanessa estremeceu. Observava fixamente seus lábios, e a expressão de seu rosto era impossível de não interpretar. Lentamente ele se inclinou para frente, pegando-a pela nuca para aproximar sua cabeça e pousar os lábios sobre os dela.
Mas nessa ocasião não a beijou com insegurança, buscando sua aprovação. Os lábios de Zac eram suaves, sedutores. Cálidos e firmes, a beijavam com erotismo, apagando todo pensamento racional de sua mente, toda possível objeção. Zac levantou a mão para estreitá-la contra seu peito. Vanessa usava só o pijama, e o coração batia aceleradamente.
Vanessa levantou as mãos e se agarrou aos ombros de Zac, e então ele lhe abriu os lábios e sua língua aprofundou na boca dela explorando-a, traçando círculos. Até que Vanessa respondeu com paixão. Zac deslizou a mão até a nuca dela. O coração de Vanessa batia acelerado, os seios se tencionaram desejosos de um contato íntimo. Mas Zac simplesmente acariciou seu pescoço, embriagando-a com a língua numa imitação do movimento do amor. Finalmente afastou a boca, deslizando-a pelo pescoço até o decote.
— V — murmurou contra sua pele —, eu te desejo.
— Eu sei — contestou ela com os dedos enredados nos cabelos de Zac —. É tão estranho.
— Para mim não — disse ele se jogando para trás, acariciando seus antebraços absortos —. O que poderia ser melhor, do que se casar com sua melhor amiga, com a qual, casualmente, compartilha uma atração sexual irreprimível?
— Isso não compartilhamos.
— Ainda — disse ele, confiante —. Mas compartilharemos. E será tão apaixonado que até os quadros cairão das paredes.
— Pois vai sair caro — caçoou ela.
— Bom, é uma sorte que não tenha problemas, nesse sentido — sorriu ele.
Vanessa foi liberada no dia seguinte, ao meio dia. O médico ordenou-lhe ter calma, ao menos até que cumprisse doze semanas de gravidez. Então lhe retiraria o medicamento contra as náuseas e comprovaria se tudo estava bem. Vanessa não podia trabalhar, nem subir escadas. Devia deixar que alguém a cuidasse, ao menos durante algumas semanas. Vanessa estava horrorizada tratando de acostumar-se à ideia, quando o médico acrescentou outra nova restrição: não devia manter relações sexuais. Zac estava no quarto, durante a visita. Vanessa não se atreveu a olhá-lo, seu rosto ardia. Sentia-se ele tão frustrado como ela?
Zac ajudou-a a subir no Mercedes.
— Senhor Efron? — chamou-o uma enfermeira, saindo do hospital —. Esqueceu isto.
Vanessa conteve o fôlego atônita, ante a expressão do rosto de Zac. Voltou-se e olhou à enfermeira. Era baixinha e loira, de olhos azuis, sorridente. E parecia incrivelmente com Taylor. Vanessa voltou à vista para Zac. Ele tinha notado. Seu rosto expressava angústia, dor.
— Deixarei no assento de trás — comentou a enfermeira.
— Sim, obrigado — contestou Zac aclarando a garganta e agarrando-se ao volante.
Lá fora o dia era cinza e triste. E assim se sentia Vanessa. Observou Zac. Estava sério, tenso. Abriu a boca, mas voltou a fechá-la sem dizer nada. Que podia dizer? Era evidente que Zac não queria falar disso, de outro modo teria mencionado. De repente Vanessa sentiu-se insegura. Girou a cabeça em direção à janela seus olhos encheram-se de lágrimas. Não esperava nada daquele casamento, repetiu uma vez mais em silêncio. Que importava, se não compartilhavam um amor tão apaixonado e profundo como o que tinham compartilhado Zac e Taylor? Podia viver sem amor. Na realidade, jamais o tinha experimentado. O único amor que tinha conhecido era o Austin, mas lhe tinha resultado asfixiante. Sua admiração jamais lhe tinha inspirado afeto. Zac girou na Avenida Commonwealth e Vanessa rompeu por fim o silêncio.
♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥
Estou cada vez mais e mais amando esse clima entre o Zac e a Vanessa!!!
Eita!! O que será que acontecerá agora com essa lembrança súbita da
falecida Taylor!? Espero que não atrapalhe a relação
entre eles não é!?
Obrigada pelos comentários meninas!!!
Beijos e até qualquer hora!!

5 comentários:

  1. Também to amando essa aproximação dos dois!Tomara que a lembrança da taylor n atrapalhe!E to ansiosa pra saber o que ela vai dizer,posta mais bjs bjs

    ResponderExcluir
  2. ahhhh não acreditooo finalmente!! o que será que ela vai falar? posta maissss porfavaa!!

    ResponderExcluir
  3. ownnn que fofos!! posta mais hojeee please!!! e que essa harmonia continue...

    ResponderExcluir
  4. OMG tô mega apaixonada por essa fic
    esses momentos de Zanessa só estão melhorando
    ♥♥♥
    desculpa a demora em comentar,amore
    xoxo

    ResponderExcluir