terça-feira, 12 de maio de 2015

Capítulo 20

— Não está ruim, para ser a primeira tentativa. Podemos ter uns dias para pensar, e ver se continuam parecendo bonitos — sugeriu Vanessa.
Dois dias mais tarde, Zac estava se vestindo para ir trabalhar quando ouviu Vanessa o chamar. Sua voz soou-lhe estranha. Zac apressou-se a entrar no quarto de Vanessa, preocupado. Ela levantou a vista e o olhou, sorridente. Estava sentada na cama com as mãos sobre o ventre.
— Vem, corre!
Zac terminou de abotoar a calça e aproximou-se, sentando-se a seu lado. O peso de seu corpo afundou o colchão, de modo que Vanessa inclinou-se involuntariamente para ele. Zac aproveitou para rodeá-la com um braço, e contestou: — O que está acontecendo?
— Olha, toca — disse ela agarrando sua mão e a pondo sobre seu ventre, acima da t-shirt.
Zac se sobressaltou. Pôs a palma da mão sobre o ventre de Vanessa, com o pulso acelerado, e notou que algo se movia dentro.
— Estão se movendo!
— Humm... Por aqui se sente muito melhor — acrescentou Vanessa dirigindo a mão de Zac para um lado. Durante uns segundos, ambos permaneceram imóveis enquanto os bebês se moviam. Mas para Zac aquilo não era suficiente. Agarrou a t-shirt e, antes de levantá-la, perguntou: — Posso?
Vanessa assentiu ruborizada. Zac respirou fundo, resistindo ao desejo de beijá-la. Levantou a t-shirt e descobriu o ventre. Então pôs uma possessiva mão sobre ela e sentiu os ligeiros movimentos dos bebês. Uma emoção mais intensa do que jamais tinha sentido o embargou. Aquela era a vida que estava feita. Impulsivamente, beijou Vanessa no alto da cabeça. Para sua surpresa, ela respondeu com um murmúrio de prazer, apoiando a cabeça sobre seu ombro e aconchegando-se contra ele numa doce intimidade que lhe fez desejar repetir aquele gesto diariamente.
Estiveram assim uns segundos, sentindo o movimento dos bebês, até que ela levantou a cabeça e disse:
— Agora parece que se acalmaram. Sinto toda semana que se movem, mas nunca tanto como hoje.
Zac não pôde resistir. Inclinou-se e beijou reverentemente o ventre de Vanessa, acariciando sua pele cálida e sedosa por um momento antes de endireitar-se e voltar a colocar-lhe a t-shirt em seu lugar.
— Sinto muito, mas obrigado por deixar-me compartilhar isso. É... emocionante.
— Sim — afirmou ela aclarando a garganta —.  pode tocar-me sempre que queira.
— Não — negou ele sentindo que as batidas de seu coração se aceleravam —. Não posso. Não tal e como quero.
— Bem — suspirou ela, assentindo. Aquela resignada renúncia acelerou ainda mais o pulso de Zac. Vanessa acariciou seu antebraço suavemente deixando um rastro de fogo sobre sua pele —. Mas eu poderia... Tocá-lo, se quisesse.
— O que? — perguntou Zac sem dar-se conta de que pronunciava aquela sílaba em voz alta.
Zac demorou uns segundos em compreender o que sugeria Vanessa, e imediatamente se pôs tenso. Sentia-se incomodado.
— Disse que... — começou a dizer Vanessa, com intenção de repetir.
— Já sei o que disse! É só que... que... Demônio, não importa! — exclamou Zac passando ambas as mãos pelos cabelos.
— Zac — chamou-o ela surpreendida, insegura, esperando que ele a olhasse para continuar —. Estou equivocada, ou pensava em consumar este casamento quando tivéssemos permissão do médico?
— V... — contestou ele com voz estrangulada —... Você sabe que a desejo. Não é nenhum segredo. Mas você e eu nem sequer... Não podemos...
— A mim não importa se tivermos que fazer as coisas na ordem contrária — sorriu ela.
Uma nova língua de fogo pareceu percorrer Zac. Até fazê-lo sentir-se realmente violento.
— Bem, mulher — disse respirando fundo —, às vezes me pergunto se alguma vez a conhecerei.
— Claro que sim — riu Vanessa se pondo em pé tomando-o das mãos e obrigando-o a levantar-se para olhá-lo na cara —. Prometo que sim.
Vanessa interpretava mal, de propósito, cada uma de suas palavras, lhes dando um significado sexual que ele nem tinha pretendido, nem podia resistir.
— Tenho que ir trabalhar — afirmou ele, desejando escapar.
Então Vanessa se reclinou sobre ele e pressionou o ventre contra a parte mais viril dele, sorrindo. — E quem o impede?
— Você — contestou ele se soltando as mãos para estreitá-la contra si, inclinando a cabeça e buscando seus lábios. Zac estava tão excitado e sedento dela que aquele beijo foi uma selvagem e frenética dança de ambas línguas. Depois ele afastou a boca e semeou uma chuva de beijos sobre seu pescoço até o decote. Então mordeu a t-shirt e afastou-a, descobrindo o ombro de Vanessa.
— Zac — chamou-o lhe afastando a camisa desabotoada para acariciar seu peito nu acima e abaixo.
Vanessa desenhou seus músculos com mãos tremulas. Zac permitiu que ela apalpasse suas costelas, deslizando suavemente os dedos até encontrar os mamilos, os acariciando e excitando-o ainda mais. Zac gemeu, afastou a boca de seu pescoço e buscou os lábios de Vanessa para demonstrar-lhe com suas investidas o que realmente queria fazer.
Ela respondeu deslizando ambas as mãos por seu torso, fazendo que seus músculos se contraíssem. E então, para assombro de Zac, em lugar de parar ali, Vanessa continuou baixando deliberadamente a mão até a cueca e pressionou sua virilidade até que ele a agarrou pelo braço e a obrigou a se deter.
— Chega!
— Por que? — perguntou ela sorrindo, contra seus lábios.
Por quê? Zac não tinha resposta para essa pergunta. Sua mente mal era capaz de pensar. Vanessa deslizou a mão que ficara livre de novo sobre ele, mas Zac a reteve, levantou ambas as mãos e beijou suas palmas afastando-as de seu corpo.
— Não — disse ele respirando agitadamente tratando de sorrir, apesar do violento que se sentia e do desejo irresistível para deixá-la terminar.
Zac olhou-a nos olhos tratou de fazê-la compreender:
— Não me mal interprete, V. Não há nada que deseje mais que fazer amor com você, mas... Não quero fazer assim. Quero que quando o façamos, estejamos os dois juntos, o tempo todo — Vanessa roçou o ventre contra ele, e Zac jurou: — Maldita seja, mereço uma medalha de honra.
Aquele comentário rompeu de algum modo o tenso fio de atração sexual entre os dois. Vanessa começou a rir e finalmente deixou que ele a afastasse, jogando-a para trás.
— É muito nobre, senhor Efron, mais do que lhe convém. Mas aprecio o gesto — acrescentou colocando uma mão sobre sua bochecha.
A partir desse momento, Zac manteve-se afastado dela. Conhecia seus próprios limites. A beijava pudicamente, diariamente, mas evitava que voltassem a surgir àqueles momentos de erótica sensualidade entre os dois.
No princípio do mês de junho Zac viu-se obrigado a viajar a Seattle por negócios. Era a primeira vez que deixava sozinha Vanessa depois de sua estância no hospital. Ela o olhou com tristeza, com uma expressão que Zac não soube interpretar, quando lhe comunicou.
— Talvez venha adiando essa viagem por minha culpa?
— Não, na realidade não — contestou Zac faltando ligeiramente à verdade —. Ninguém requereu minha presença com tanta urgência, até este momento.
— Mas normalmente você viaja bem mais do que o fez ultimamente — repôs Vanessa.
— Sim, mas tenho estado pensando em deixar de fazê-lo. Durante estas semanas tenho estado fazendo uma prova. Enviei a alguns de meus executivos mais capazes, para ver como se saiam. E não foi mau. Não quero ser um desses pais que consideram que o trabalho é mais importante que a família — acrescentou tomando-a pelos ombros —. Vou começar a delegar responsabilidades de sair em viagem para meus empregados. Terei que seguir viajando de vez em quando, é inevitável, mas ficarei em casa quase o tempo todo. Voltarei quanto antes — continuou sem deixar de observar tristeza e algo indecifrável nos olhos de Vanessa —. Lamento não poder ir à próxima consulta do médico.
— Não importa — sorriu ela —. Já sou grandinha, James cuidará de mim. Também essa consulta não é tão importante. Nem sequer é necessário fazer uma ecografia.
— Sim, eu sei. Terá saudades? — perguntou Zac vacilante.
— Sim — afirmou ela num sussurro, assentindo sem duvidar com a cabeça, para surpresa de Zac.
— Voltarei logo que possa — acrescentou ele estreitando-a em seus braços.
Vanessa assentiu cabisbaixa e chorosa. Quando ele a soltou, Vanessa deu um passo atrás e acrescentou:
— Não se preocupe por mim, ultimamente estou muito sensível e emotiva.
Mas Zac se preocupava. Detestava abandoná-la, mas sabia que não podia lhe confessar isso. A forma em que Vanessa se tinha aferrado a ele o enternecia até limites inesperados. Zac deu um passo adiante, atraiu-a uma vez mais para si e a beijou, antes de dizer:
— Voltarei antes que se dê conta.
♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥
Hoje eu vim mais cedoooo :D
Achei mega fofo esse momento dos dois sentido os movimentos das
meninas, concordam!?
E essa consumação hein!? Dessa vez foi quase... Essa Vanessa ai eu não
conhecia não, mas quer saber!? Eu prefiro essa Vanessa mais atrevidinha do que
a outra!! hahahaha
Ai espero que ele volte logo mesmo!!!
AGORA UMA NOTÍCIA CHATA: Não me dei conta mas estamos entrando na contagem
regressiva já para o fim da fic!! #Choremos
E com isso o Top Coments chega ao fim hoje e ai
a vencedora com o maior número de comentário (que eu postarei ainda hoje o nome)
escolherá as próximas fic que irão pra votação!!
Rafa eu também nunca esquecerei da sapequinha Lynda :D
Zanessa 4ever eu também não sei de onde ela tirou isso!! É ele achando que
ela não o ama e ela achando que ele não o ama!! 
Eles tem que resolver logo isso!! Pq isso acaba com meu coração!!
Regiane concordo plenamente!! 
Obrigada pelos comentários meninas!!!
Beijoooos e até mais!!

6 comentários:

  1. Adorei o capítulo!
    Pena que está acabando a fic :/

    ResponderExcluir
  2. ameiiii!! posta mais hjjjj! please

    ResponderExcluir
  3. Ameii ,que fofos os dois sentindo os bebês ,eles ainda matam a gente do coração,tomara que ele volte logo mesmo !E que pena que já ta acabando,posta mais bjs bjs

    ResponderExcluir
  4. Cara agora que vi que já estamos no capítulo 20,passou super rápido,nem acreditei que estava chegando o final,mas enfim,que capítulo é esse em!!! A dona vanessa está muito danada mas adorei esse lado atrevido dela

    ResponderExcluir
  5. Vanessa toda safadinha hein kkk,uma fofura os dois sentindo os bebes..posta mais bjos

    ResponderExcluir
  6. OMG capítulo mega perfeitooooooo ♥♥♥
    tá muito lindo amore
    não acredito que o Zac interrompeu esse momento
    que alto controle hein?!kkkk

    ResponderExcluir