sexta-feira, 1 de maio de 2015

Capítulo 8

Na manhã seguinte Vanessa ligou para Zac para lhe dizer que, segundo o centro de fertilidade, a melhor data para a inseminação era, efetivamente, na semana seguinte, se é que pretendiam o fazer quanto antes. Zac desligou o telefone aliviado de comprovar que ela não tinha se arrependido. Tinha medo de que tivesse pensado melhor e tivesse decidido que preferia um doador anônimo. Para ele, quanto mais rápido, melhor. No entanto tinha medo de que Vanessa se assustasse se corria muito. Não deixava de se perguntar que sentiria ela ante a ideia de se casar com ele. Dava-se conta de que era algo permanente, de que se tratava de um casamento para valer? Nem sequer tinham falado sobre onde viveriam quantos filhos teriam ou se ela continuaria trabalhando. Nem sobre sexo.
Zac estava seguro de que Vanessa não tinha pensado no sexo, em relação com ele. Na época do instituto, ele tinha sido simplesmente seu colega, seu vizinho. Ela tinha começado em seguida, a sair com o futebolista, e desde então cada vez se tinham visto menos. Mas Vanessa nem sequer tinha se dado conta disso.
Não, ele era o único que tinha sofrido. No final do curso seguinte Zac tinha ido à Universidade. Nas escassas visitas a casa, sempre rogava para que ela estivesse livre. Olhando atrás no tempo, Zac não estava seguro de que tivesse tido a coragem de lhe pedir que saíssem juntos, de ter sido assim. De todos os modos teria sido inútil, porque dois anos depois de terminar o colégio, Vanessa tinha ido ao Alabama. E então tinha sido quando ele tinha começado a aceitar a realidade, esquecendo o sonho de que fosse sua em algum dia. Justo por essa época apareceu Taylor. Enquanto estava viva, Zacjamais lhe teria sido infiel. Seus sentimentos para Vanessa tinham permanecido ocultos, no mais profundo de seu coração.
Mas Taylor tinha morrido, e Vanessa tinha se aproximado de novo a ele com uma proposta que qualquer homem em seu são julgamento teria recusado. Qualquer, exceto Zac. Não, quando se tratava de Vanessa.
O que Vanessa sentia por ele? Tinha alguma possibilidade de que o desejasse tanto como ele a desejava? A euforia de Zac por seu compromisso desvaneceu-se rapidamente ao pensá-lo. Pela primeira vez pensou claramente na situação em que se achava. Durante anos, Vanessa tinha estado fora de seu alcance. Zac já tinha sido paciente. De repente surgia a possibilidade de compartilhar o resto de sua vida com ela. Apesar de tudo, por mais atraente que resultasse, não lhe bastava. Era frustrante, para um homem acostumado ao sucesso.
Ainda seguia recordando a reação horrorizada de Vanessa ao lhe falar de casamento pela primeira vez. E a noite anterior, ela tinha começado a respirar agitadamente, ao aludir ele indiretamente o sexo. Zac teria jurado que, em certos momentos, tinha entre eles certa atração. Mas talvez fora só o desejo que o fazia acreditar.
Mas não, Vanessa sentia algo, ele sabia. Na noite anterior, ao tomar sua mão no restaurante, ela se tinha mostrado muito afetada, excitada, inclusive. Como em momentos antes, ao beijá-la. Os lábios de Vanessa tinham-se derretido nos seus, até acabar por agarrar-se a eles. E na outra noite, em seu apartamento, ao estreitá-la em seus braços, a ponto de beijá-la, Vanessa tinha estremecido, tinha lutado contra si mesma para se dominar. Sim, Vanessa o desejava. Tinha sentido o desejo de erguer a cabeça e deixar-se levar pela atração que os unia. Por que tinha alegado então que isso não seria certo? Que ocultava? Ou talvez fosse a si mesma, que pretendia ocultar algo? Após comer, Zac deixou-se levar por um impulso e ligou de seu escritório para ela.
— Reilly Gallery, em que posso ajudar?
— É inútil, não tenho solução — caçoou Zac.
— Olá — riu Vanessa.
—Olá, está muito ocupada esta tarde?
— Não especialmente.
— Bem, porque queria se perguntar onde vai querer morar.
— Morar? — repetiu Vanessa depois de uma pausa.
— Sim, em que casa, com que móveis. Num castelo? Numa cabana? Num apartamento?
— Puxa! Compreendo. Acho que...
— O que você acha?
— Bom, por que não esperamos ver se no final nos casamos antes de fazer planos?
Zac teria querido contestar-lhe que ele desejava se casar com ela, grávida ou não. Mas pelo tom de voz de Vanessa, mas achou que não era a resposta mais inteligente, assim que respondeu:
— Quer vir jantar no sábado à noite?
— Ir jantar?
— Na minha casa — explicou Zac —. Já foi lá algumas vezes, mas poderia voltar e dar uma olhada. Assim poderia ir pensando onde gostaria de viver se é que no final nos casamos.
— Bom, é uma boa ideia — contestou ela, pouco convencida.
— Ótimo, eu te buscarei as sete.
— Não precisa, posso...
— Irei buscá-la — repetiu ele insistente —. Às Sete. No sábado. Até mais.
Ao desligar Zac girou a cadeira de seu escritório e contemplou a vista do último andar da torre de escritórios. Era um homem rico. A localização de seu negócio, no centro financeiro de Boston, não deixava lugar a dúvidas. Não obstante sentia-se como um adolescente, cada vez que falava com Vanessa. Zac tinha a sensação de que os meses seguintes seriam difíceis. Girou de novo a cadeira e revisou o calendário. Antes de chegar a um acordo com Vanessa, tinha estado considerando a possibilidade de viajar pelo país para visitar as diversas empresas de sua propriedade. Mas teria que esperar, ao menos até que estivesse seguro de que a inseminação artificial dava seus frutos.
Vanessa estava pronta, quando Zac chegou para buscá-la no sábado e levá-la a Brookline. Tinham que percorrer a prestigiosa Commonwealth Avenue inteira, para chegar à mansão georgiana de cinco dormitórios que Zac tinha comprado com Taylor quando ainda sonhavam em encher a casa de crianças. Zac deu a volta na casa para entrar na garagem e Vanessa pode apreciar toda sua magnificência. Era a maior casa de toda a avenida.
— Alguma vez te disse o quanto admiro seu bom gosto para casas?
— Não, mas obrigado.
Zac esperava que gostasse da casa. Tinha-lhe muito apego. Mas estaria disposto a se mudar, a pedido de Vanessa.
— Quantos anos tem o edifício, exatamente?
— Foi construído em 1866.
— É incrível.
— O jardim é bem mais bonito na primavera e no verão — repôs Zac a ajudando a sair do Mercedes e guiando-a até a porta —. Encontrei um desenhista de paisagens magnífico, que fez um bom trabalho. E também se ocupou do terraço que há no telhado.
— Há um terraço no telhado? — sorriu Vanessa perplexa —. Pensou alguma vez, quando era criança, que seria o proprietário de uma mansão vitoriana em Back Bay?
— Não, mas sonhava em ter uma garota e encontrar trabalho. É engraçado como... ocorrem as coisas.
— As coisas não ocorrem, você faz com que ocorram.
— Talvez — deu de ombros Zac —, mas também conta a sorte. Tive a ideia certa no momento certo, e ademais tive a sorte de encontrar ajuda financeiro — explicou Zac mostrando-lhe a sala de estar, mais informal que o resto da casa —. Espere um momento, vou averiguar a que hora James pensa em servir o jantar.
♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥
Antes de mais nada desculpe-me Zanessa 4ever que pediu pra mim postar mais um
capítulo ontem!! Vi seu comentário ontem mas pelo celular... Meu computador
tava sendo arrumado, tinha dado alguns probleminhas técnicos nele... Mas agora
tudo voltou ao normal!!
Anonimo 2 obrigada por distinguir-se dos outros assim poderei te adicionar aos top coments!!
Quanto ao capítulo: Eu não vejo a hora de chegar logo a hora de fazer essa inseminação
e a Nessa ficar grávida logo!! Mas enquanto isso nos contentamos em tentar adivinhar
o que será que ocorrerá nesse jantar... Eu fiquei aqui imaginando a cara da Vanessa
vendo a baita mansão do Zac hahaha!!
Obrigada pelos comentários meninas!!!
Beijos e até qualquer hora!!

6 comentários:

  1. Tranquilo amore! Curiosa pra saber o que vai acontecer nesse jantar,e tomara que de tudo certo nessa inseminação!Posta logo bjs bjs!

    ResponderExcluir
  2. aii deus,morrendo de curiosidade aqui
    amei o capítulo ♥♥♥
    posta mais amore,kisses

    ResponderExcluir
  3. Aiiiiin vanessa, tadinho zac ne, colabora kkkkk
    sinto q ele vai demorar a se declarar OMG.. sabe, se a Taylor morou na casa dele, deviam se mudar sei la, começar de novo do zero
    posta mais flor
    Ass: Anônimo 2

    ResponderExcluir
  4. Huum ... Oq será q vai acontecer nesse jantar ? #curiosa rsrs. Adorei o cap. Posta mais um hj ? Pleacee bjoos

    ResponderExcluir
  5. Já li os capítulos que perdi. Primeiro, tenho a dizer que quase me revoltei com a atitude da Vanessa devido ao pedido do Zac. Essa conversa dos dois... Segundo, não esperava o beijo no capítulo seguinte. Terceiro, gostei de saber que eles chegaram a um acordo!
    Quanto a esse capítulo: Estou curiosa para saber o que acontecerá nesse jantar!

    Posta logo.

    Beijos.

    ResponderExcluir